25/01/2021

Adaptação e qualidade: Transul adota novo padrão de atendimento após o Covid-19

Materiais descartáveis e higienização terminal das ambulâncias são algumas das modificações que garantem a segurança nos atendimentos domiciliares

De acordo com a gestão, cerca de 40% dos atuais atendimentos destina-se a paciente com o Coronavírus

 

Desde o começo da pandemia, praticamente todos os setores do mercado sofreram adaptações para garantir um trabalho com o menor risco de contaminação possível. Dentro da Transul, empresa com mais de 50 anos de tradição em chamados de urgência e emergência médica, a situação não foi diferente. Hoje, 40% dos chamados estão voltados para atender os pacientes com suspeita de Covid.

O responsável técnico pela enfermagem, Cristiano Martins, diz que além da utilização de EPI’s e outros materiais, a empresa passou a utilizar protetores nas solas dos calçados para não levar o vírus para dentro das casas das famílias, bem como avental descartável, macacão especial e óculos de proteção. “Também realizamos uma lavagem terminal em nossas ambulâncias após os atendimentos, garantindo assim a segurança da nossa equipe e dos próximos pacientes que serão atendidos”, diz.

Cristiano afirma que o atendimento pré-hospitalar realizado pela Transul na residência dos pacientes suspeitos de Covide é relevante: “é muito mais seguro para as famílias receber a equipe técnica em casa, assim ninguém fica exposto à contaminação hospitalar”, completa.

Além do atendimento especializado para pacientes com suspeita de Covid-19, a equipe orienta a família sobre como realizar o isolamento com segurança. “Indicamos como separar os talheres e louças que o infectado irá utilizar, bem como as toalhas e roupas de cama. A limpeza do banheiro também é outro cuidado salientado e que deve ser feito sempre que ele for utilizado”.

Cristiano lembra que, mesmo com a vacina chegando no Brasil, a curva de contaminação não deve ser achatada logo nos primeiros dias ou semanas. “Percebemos que os países que iniciaram a imunização em dezembro ainda permanecem em lockdown e não registraram uma significativa diminuição em relação ao contágio do Coronavírus. Logo, os cuidados rígidos seguem. Esperamos que os números comecem a baixar após 30 dias de vacinação e, ainda sim, é muito difícil de prever a eficácia. É necessário e imprescindível manter os protocolos de segurança e evitar ao máximo sair de casa ainda por tempo indeterminado”, observa.

Mais informações: www.transul.com.br


Legenda:
Créditos: